As tatuagens abstratas usam linhas, formas e pinceladas para criar a ideia de uma pessoa, lugar ou objeto, em vez de uma representação visual precisa.

A tatuagem abstracta é muito ampla e representa principalmente a arte que distorce as formas encontradas na realidade.

Para muitos, trata-se de uma arte mais descontraída, uma vez que é difícil decifrar com exatidão o que ela representa e o simbolismo por detrás das imagens tatuadas.

A arte abstracta encontra-se em obras de arte antigas, sob a forma de desenhos tribais de animais, através do uso de padrões para representar elementos e lugares como linhas esguichadas com água e triângulos para montanhas.

No mundo ocidental, a arte transformou-se ao longo dos séculos, tornando-se cada vez mais realista, até que muitos artistas do século XVIII produzissem pinturas que insinuassem o fotorrealismo.

As pinturas do Renascimento e as eras clássicas foram altamente realistas, com atenção aos mínimos detalhes.

No século XIX, os artistas começaram-se a afastar lentamente do que representavam na pintura, concentrando-se mais na forma como sentiam o assunto ou como expressavam a sua ideia do assunto.

Isto levou a uma era de experimentação e inovação – um período criativo agora conhecido como o movimento da arte abstrata.

Antes que a arte abstrata se tornasse moda, os artistas tentaram esconder as suas pinceladas dentro da pintura para criar um acabamento suave.

À medida que os artistas começaram a experimentar mais e mais ideias abstratas, pinceladas e até partes nuas da tela foram incluídas como parte da pintura final.

Os famosos pintores abstratos incluem Vincent van Gogh, Pablo Picasso e Jackson Pollock.

Por vezes, muitas pessoas são confundidas com a arte abstrata, já que existem muitas sub-seitas e grupos de estilos que compõem este movimento artístico.

Van Gogh, por exemplo, é classificado como pós-impressionista, enquanto Picasso é considerado um pintor cubista e Pollock agora é conhecido como expressionista.

Curiosamente, os estilos de design de tatuagem seguiram o mesmo caminho de evolução que as belas artes.

As tatuagens antigas eram constituídas por padrões e representações icónicas de totens ou símbolos de animais.


Nas últimas décadas, com a introdução de equipamentos de tatuagem, como tintas brancas e melhores máquinas de tatuagem, os tatuadores conseguiram criar tatuagens fotorrealistas.

As tatuagens abstratas não são necessariamente salpicos, rabiscos ou dribles de tinta.

As tatuagens abstratas podem ser constituídas por formas geométricas, pinceladas e salpicos de tinta ou um uso incomum de meios de pintura.

Estes projetos podem representar um elemento físico, animal, lugar ou pessoa, mas também pode ser usado para expressar ideias emocionais e espirituais.

O uso de cor e forma define a emoção ou a ideia dentro da pintura.

A arte abstracta é, muitas vezes, composta de formas e linhas.

As formas geométricas simples têm muito mais significado do que a maioria das pessoas está ciente.

O círculo, por exemplo, é uma representação da eternidade e da natureza cíclica da vida.

Uma única linha pode representar um espaço no tempo ou que a vida é finita (com o nascimento numa extremidade e a morte na outra).

Um triângulo com o seu ponto voltado para cima é um símbolo de masculinidade, enquanto um triângulo “de cabeça para baixo” é uma forma de cálice e um símbolo de feminilidade.

O que é complicado sobre o simbolismo das formas geométricas é que uma única forma pode ter um significado muito diferente para pessoas diferentes.

É por isso que as pinturas compostas por formas geométricas e padrões geralmente parecem absurda, porque  cada imagem pode produzir um significado que não faz sentido, tendo as formas simbolismos diferentes para o espectador e para o profissional que executa a tatuagem.

 

A cor desempenha um papel importante na arte abstrata.

O artista usa uma combinação de forma e cor para expressar uma ideia, e consequentemente uma emoção.

Então, uma tatuagem abstrata que pode parecer uma confusão de linhas aleatóreas para uma pessoa, pode revelar-se uma história simbólica sobre a vida aos olhos de outra.